Itajaí - Centro
47 3045-5200
◄ VOLTAR

UNIQUALI

NORMAS



16.04.2014
Inf. 97/01 | Avaliando o nível de alfabetização dos alunos no Unificado

Como explicitado na Inf. 15, o aluno do Unificado deve:

começar o 2º Período da Educação Infantil no nível pré-silábico,

terminar o 2º Período da Educação Infantil  no nível silábico,

terminar o 1º do Fundamental no nível silábico-alfabético e

terminar o 1º trimestre do 2º do Fundamental no nível alfabético.

 

2º Período. No final de novembro, fazemos uma avaliação do nível de alfabetização do aluno, seguindo o estabelecido no PO 34.

 

Nesta avaliação, o Coordenador Pedagógico verifica o número de alunos em cada um dos quatro níveis (pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético), informando o assessor pedagógico do Fundamental I, que compila os dados e encaminha ao Diretor de Ensino.

 

1º do Fundamental. Ao longo do ano, fazemos quatro avaliações do nível de alfabetização do aluno, seguindo o estabelecido na PO 34: em meados de março, em meados de julho, em meados de setembro e no final de novembro.

 

Na primeira avaliação, realizada em meados de março, o Coordenador de Turno verifica o número de alunos em cada um dos quatro níveis (pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético), informando o assessor pedagógico do Fundamental I, que compila os dados e encaminha ao Diretor de Ensino e ao respectivo Vice-Diretor da unidade.

 

Na segunda avaliação, realizada em meados de julho, além de verificar o número de alunos em cada um dos quatro níveis, o CT também busca identificar a causa básica dos alunos no nível pré-silábico estarem nesta fase.

 

As possíveis causas são:

desestruturação familiar,

descomprometimento com a aprendizagem,

imaturidade,

possível dificuldade de aprendizagem, ainda não comunicada à família,

possível dificuldade de aprendizagem, comunicada à família e ignorada,

possível dificuldade de aprendizagem, comunicada à família e aguardando diagnóstico,

dificuldade de aprendizagem, sem acompanhamento de especialista,

dificuldade de aprendizagem, com acompanhamento de especialista.

 

Então, informa ao assessor pedagógico os números e também os nomes e as causas dos alunos no nível pré-silábico, que compila os dados e encaminha ao Diretor de Ensino e ao respectivo VD da unidade.

 

Ao longo dos próximos dois meses, cabe ao CT agir com ênfase naqueles casos em que o problema não foi comunicado à família, naqueles em que o problema foi comunicado e a família ou ignorou ou ainda não entregou diagnóstico e naqueles em que não há acompanhamento de especialista.

 

Na terceira avaliação, realizada em meados de setembro, o CT verifica o número de alunos em cada um dos quatro níveis e identifica a causa básica dos alunos nos níveis pré-silábico e silábico estarem nestas fases. Naturalmente, não seria interessante que a esta altura houvesse causa ainda não comunicada à família.

 

Então, informa ao assessor pedagógico os números e também os nomes e as causas dos alunos no nível pré-silábico e silábico, que compila os dados e encaminha ao Diretor de Ensino e ao respectivo VD da unidade.

 

Ao longo dos próximos dois meses, cabe ao CT agir com ênfase naqueles casos em que a família ignorou a informação ou ainda não entregou o diagnóstico ou ainda não providenciou o acompanhamento de um especialista.

 

Na quarta avaliação, realizada no final de novembro, o CT verifica o número de alunos em cada um dos quatro níveis e identifica a causa básica dos alunos nos níveis pré-silábico e silábico estarem nestas fases.

 

Então, informa ao assessor pedagógico os números e também os nomes e as causas dos alunos no nível pré-silábico e silábico, que compila os dados e encaminha ao Diretor de Ensino e ao respectivo VD da unidade.

 

O CT também encaminha à Secretária Escolar os nomes dos alunos nestes níveis cujas famílias ou ignoraram a informação ou ainda não entregaram o diagnóstico ou ainda não providenciaram o acompanhamento de um especialista.

 

De posse desta informação, a Secretária, ao preparar os kits rematrícula, classifica estes alunos com o código C, que significa que, para rematricular, os pais deverão conversar com o VD.

 

Nesta conversa, cabe ao VD condicionar a rematrícula do aluno ao cumprimento, pela família, da solicitação do CT.

 

2º do Fundamental. No final de maio, terminando o 1º trimestre, fazemos uma avaliação do nível de alfabetização do aluno, seguindo o estabelecido no PO 34.

 

Nesta avaliação, o CT verifica o número de alunos em cada um dos quatro níveis (pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético) e também os nomes e as causas dos alunos em nível abaixo do alfabético, informando o assessor pedagógico do Fundamental I, que compila os dados e encaminha ao Diretor de Ensino e aos VD das unidades.

 

A partir daí, o CT passa a acompanhar apenas os alunos que ainda não atingiram o nível alfabético. Ao final do ano, o CT segue as orientações dadas mais acima.

 

Secretária e VD seguem os trâmites descritos mais acima.

 

Baixando os anexos, se obtém os resultados das avaliações desde 2012.

Arquivos para download

Acompanhamento da alfabetização do 1º do Fundamental 2012 DOWNLOAD
Acompanhamento da alfabetização do 1º do Fundamental 2013 DOWNLOAD
Inf. 97 Avaliando o nível de alfabetização dos alunos no Unificado DOWNLOAD