◄ VOLTAR

UNIQUALI

NORMAS



27.02.2020
Inf. 100/01 | Clube da Leitura e da Escrita do Unificado (CLEU)

 

ESTATUTO DO CLUBE DA LEITURA E DA ESCRITA DO UNIFICADO

 

CAPÍTULO I

DA FINALIDADE

 

Artigo 1º. O Clube da Leitura e da Escrita do Unificado, fundado em 8 de março de 2020, é uma entidade formada por alunos do 6º ano do Fundamental ao 3º ano do Médio regularmente matriculados em qualquer unidade do Colégio Unificado, cuja sede fica na Administração Central do Unificado.

 

Parágrafo único. Haverá uma subsede em cada unidade do Unificado que tenha alunos das séries indicadas no caput.

 

Artigo 2º. São finalidades do Clube da Leitura e da Escrita do Unificado (doravante, “o clube”):

I – fomentar a leitura e a escrita,

II – proporcionar oportunidades de domínio e aprofundamento da língua portuguesa,

III – divulgar as produções textuais,

IV – proporcionar diferentes possibilidades de interação social tendo como motor a diversidade da língua pátria.

 

CAPÍTULO II

DO QUADRO DE SÓCIOS

 

Artigo 3º. O quadro de sócios do clube é formado por sócios titulares e por sócios suplentes.

 

Artigo 4º. Sócios titulares são aqueles admitidos conforme indicado na seção II do capítulo III e, portanto, portadores de um título do clube.

 

Artigo 5º. O clube terá no máximo trinta e cinco sócios titulares, sendo vinte sócios titulares do Fundamental II e quinze sócios titulares do Médio.

 

Parágrafo único. Entre os sócios do clube deverá haver ao menos dois de cada uma das séries do Fundamental II e Médio.

 

Artigo 6º. Sócios suplentes são aqueles admitidos conforme indicado na seção II do capítulo III, estão aguardando o surgimento de uma vaga e, portanto, não são portadores de um título do clube.

 

Parágrafo único. Surgindo a vaga, o trâmite previsto no artigo 27 será realizado.

 

Artigo 7º. Os sócios, quer sejam titulares quer sejam suplentes, pertencem a uma de duas ordens ― Guarani e Kayngang ―, de acordo com o segmento em que estão matriculados.

 

Parágrafo único. Os alunos do Ensino Fundamental II pertencem à ordem Guarani e os alunos do Ensino Médio pertencem à ordem Kayngang.

 

Artigo 8º. A ordem Guarani é composta de quatro insígnias ― Guaraci, Jaci, Tupã e Nhamandu:

I – a insígnia Guaraci será concedida ao sócio no seu primeiro ano no Fundamental II do Unificado,

II – a insígnia Jaci será concedida ao sócio não antes do seu segundo ano no Fundamental II do Unificado,
III – a insígnia Tupã será concedida ao sócio não antes do seu terceiro ano no Fundamental II do Unificado,

IV – a insígnia Nhamandu será concedida ao sócio não antes do seu quarto ano no Fundamental II do Unificado.

Artigo 9º. A ordem Kayngang é composta de três insígnias ― Kuiã, Kairu e Kamé:

I – a insígnia Kuiã será concedida ao sócio no seu primeiro ano no Médio do Unificado,

II – a insígnia Kairu será concedida ao sócio não antes do seu segundo ano no Médio do Unificado,
III – a insígnia Kamé será concedida ao sócio não antes do seu terceiro ano no Médio do Unificado.

Artigo 10º. Ao ser admitido, o sócio é considerado aprendiz em sua ordem, sem insígnia.

 

Artigo 11. Ao realizar as tarefas definidas mais adiante neste Estatuto e acumular os pontos correspondentes, o sócio recebe a primeira insígnia de sua ordem, a qual manterá ao menos até o final do ano.

 

Artigo 12. Continuando a realizar tarefas, o sócio incorporará à sua insígnia aditivos ― ipê, imbuia e araucária.

 

Artigo 13. Atingindo o aditivo araucária, o sócio passará à insígnia seguinte, sem aditivo, caso atenda às condições do artigo 8º, se matriculado no Fundamental II, ou do artigo 9º, se matriculado no Médio.

 

Artigo 14. Se ao longo do ano o sócio não acumular os pontos necessários para receber a primeira insígnia de sua ordem ou para passar de uma insígnia para a seguinte, o sócio inicia o próximo ano na situação em que se encontrava no final do ano anterior.

 

Artigo 15. Independente da insígnia que obteve ao final do Fundamental II, ao passar para o Médio o sócio passará da ordem Guarani para a ordem Kayngang.

 

Artigo 16. Sócios suplentes, enquanto estiverem nesta condição, terão computados os pontos correspondentes às tarefas realizadas, mas permanecerão sem insígnia e, consequentemente, sem aditivo.

 

Parágrafo único. Passando de suplente a titular, o sócio recebe, se for o caso, a insígnia e o aditivo a que fez jus.

 

CAPÍTULO III

DA ADMISSÃO DE SÓCIO

 

SEÇÃO I

DA COMISSÃO DE ADMISSIBILIDADE

 

Artigo 17. A comissão de admissibilidade em cada subsede será formada pelo coordenador do clube na subsede, pelos demais professores de Língua Portuguesa da unidade, pelas professoras regentes do 5º ano do Fundamental da unidade e pelos coordenadores de turno da unidade.

 

Artigo 18. Sempre que houver necessidade de analisar a admissão de um candidato a sócio o coordenador do clube na subsede convocará o professor e o coordenador de turno relacionados ao candidato e, como previsto mais adiante, analisam a proposta, sugerindo pela aprovação ou rejeição.

 

Artigo 19. Decidindo a sugestão a ser dada a cada proposta, a comissão de admissibilidade encaminha a proposta, com seu parecer, ao vice-diretor da unidade.

 

SEÇÃO II

DA ADMISSÃO DE SÓCIO

 

Artigo 20. A admissão de sócio titular far-se-á mediante proposta escrita, entregue ao coordenador do clube na subsede, firmada por professor competente, para este fim denominado “professor proponente”.

 

Artigo 21. As propostas poderão ser entregues:

I – em outubro de cada ano, pelas professoras regentes do 5º ano do Fundamental, visando indicar alunos para o 6º ano do Fundamental em substituição aos alunos do 3º ano do Médio que estarão se graduando,

II – em abril de cada ano, pelos professores de Língua Portuguesa do 6º ano do Fundamental ao 3º ano do Médio, visando indicar alunos destas séries em substituição a alunos que não se rematricularam no Unificado,

III – de maio a setembro de cada ano, pelos professores de Língua Portuguesa do 6º ano do Fundamental ao 3º ano do Médio, visando indicar alunos destas séries em substituição a alunos que pediram transferência do Unificado.

 

Artigo 22. As propostas também poderão ser entregues de maio a setembro de cada ano pelos professores de Língua Portuguesa do 6º ano do Fundamental ao 3º ano do Médio mesmo que não sejam em substituição a alunos que pediram transferência do Unificado, mas, caso aprovada, o aluno será considerado sócio suplente, até que surja uma vaga no quadro de sócios.

 

Artigo 23. Recebidas as propostas, a coordenação do clube exporá, em local com amplo acesso dos alunos, por uma semana, a relação dos nomes dos candidatos, e, para cada candidato, o nome do professor proponente.

 

Artigo 24. Apreciada cada proposta pela comissão de admissibilidade e enviada a sugestão de aprovação ou rejeição ao vice-diretor da unidade, este deferirá ou não o entendimento da comissão.

 

Artigo 25. Decidindo-se pela aprovação, o vice-diretor reúne-se com o coordenador do clube na subsede, com o aluno e com ao menos um dos responsáveis pelo aluno, apresentando o termo de aceite e colhendo as assinaturas de todos.

 

Parágrafo único. A proposta e o termo de aceite são encaminhadas ao coordenador geral do clube.

 

Artigo 26. Recebendo a documentação, a coordenação geral do clube cadastra o sócio, emitindo o correspondente título.

 

Artigo 27. Estando apto, o título de sócio será entregue pelo vice-diretor, em momento solene. 

 

Artigo 28. ­­Não sendo assinado o termo de aceite ou sendo rejeitada a proposta, a documentação é encaminhada ao coordenador geral do clube, que a arquiva.

 

CAPÍTULO IV

DAS TAREFAS DOS SÓCIOS

 

Artigo 29. Os sócios do clube deverão, ao longo de sua permanência no clube:

I – frequentar as reuniões do clube,

II – ler livros, resenhando-os, e publicar as resenhas,

III – ler livros, apresentando-os oralmente,

IV – ler livros definidos pelo clube e realizar as respectivas atividades,

V – produzir textos, publicando,

VI – divulgar o blog do clube nas redes sociais,

VII – participar de concursos de redação,

VIII – participar de outras atividades promovidas pelo clube.

IX – participar de outras atividades relacionas à Língua Portuguesa.

 

Artigo 30. Cada uma das tarefas elencadas no artigo anterior será detalhada em atos normativos expedidos pelo coordenador geral do clube, em consonância com os coordenadores de subsede.

 

Artigo 31. Cada uma das tarefas descritas no artigo 29 valerá um determinado número de pontos, estabelecidos em atos normativos expedidos pelo coordenador geral do clube.

 

Artigo 32. Atingindo o número de pontos, o sócio receberá a insígnia ou um aditivo à insígnia.

 

CAPÍTULO V

DA ELIMINAÇÃO DE SÓCIO

 

Artigo 33. Um sócio poderá ser eliminado do clube por:

I – não desempenhar adequadamente as tarefas previstas neste Estatuto e nos atos normativos emitidos,

II – pedir transferência do Unificado ao longo ou ao final do ano,

III – concluir o Ensino Médio no Unificado.

 

SEÇÃO I

DA COMISSÃO AVALIATIVA

 

Artigo 34. A comissão avaliativa em cada subsede será formada pelo coordenador do clube na subsede e pelos coordenadores de turno da unidade.

 

Artigo 35. Sempre que houver necessidade de analisar a eliminação de um sócio pelo disposto no inciso I do artigo 33, o coordenador do clube na subsede convocará o coordenador de turno relacionado ao aluno e, como previsto mais adiante, analisam o caso, sugerindo ou não a eliminação.

 

Artigo 36. Decidindo pela eliminação, a comissão avaliativa encaminha a sugestão, com seu parecer, ao vice-diretor da unidade.

 

SEÇÃO II

DA ELIMINAÇÃO DE SÓCIO POR DESCUMPRIMENTO DE TAREFAS

 

Artigo 37. Recebida a sugestão de eliminação pelo vice-diretor da unidade, este deferirá ou não o entendimento da comissão.

 

Artigo 38. Decidindo-se pela eliminação, o vice-diretor reúne-se com o coordenador do clube na subsede, com o aluno e com ao menos um dos responsáveis pelo aluno, apresentando o termo de eliminação e colhendo as assinaturas de todos.

 

Parágrafo único. O termo de eliminação é encaminhado ao coordenador geral do clube.

 

Artigo 39. Recebendo a documentação, a coordenação geral do clube elimina do cadastro o sócio, liberando o correspondente título.

 

Artigo 40. ­­Sendo rejeitada a sugestão, a documentação é encaminhada ao coordenador geral do clube, que a arquiva.

 

SEÇÃO III

DA ELIMINAÇÃO DE SÓCIO POR TRANSFERÊNCIA

 

Artigo 41. Em março de cada ano, a coordenação geral verifica os alunos sócios do clube que não se rematricularam no Unificado.

 

Artigo 42. Ao longo do ano, tendo um aluno sócio do clube pedido transferência, o coordenador da subsede informa o coordenador geral.

 

Artigo 43. Tanto em um caso como em outro, a coordenação geral do clube envia um ofício agradecendo a participação do aluno no clube ao longo do tempo em que permaneceu como sócio.

 

Artigo 44. A coordenação geral do clube elimina do cadastro o sócio, liberando o correspondente título. 

 

SEÇÃO IV

DA ELIMINAÇÃO DE SÓCIO POR CONCLUSÃO DO ENSINO MÉDIO

 

Artigo 45. Em janeiro de cada ano, a coordenação geral do clube verifica os alunos sócios do clube que concluíram o 3º ano do Médio.

 

Artigo 46. A coordenação geral do clube envia um ofício a estes alunos agradecendo sua participação no clube ao longo do tempo em que permaneceu como sócio.

 

Artigo 47. A coordenação geral do clube elimina do cadastro o sócio, liberando o correspondente título. 

 

CAPÍTULO VI

DA ADMINISTRAÇÃO DO CLUBE

 

Artigo 48. A administração do clube será exercida:

I – pelo coordenador geral,

II – pelos coordenador em cada subsede,

III – pela diretoria em cada subsede.

 

SEÇÃO I

DO COORDENADOR GERAL

 

Artigo 49. O coordenador geral será nomeado pelo Vice-Diretor de Ensino do Unificado por tempo indeterminando, podendo ser substituído a qualquer tempo.

 

Artigo 50. Compete ao coordenador geral:

I – manter atualizado o quadro de sócios do clube, cadastrando novos sócios e eliminando antigos sócios,

II – controlar a concessão de títulos, insígnias e aditivos aos sócios,

III – especificar as tarefas a serem realizadas pelos sócios, em consonância com os coordenadores de subsede,

IV – editar atos normativos para situações não especificadas ou não previstas neste Estatuto.

 

SEÇÃO II

DOS COORDENADORES DE SUBSEDE

 

Artigo 51. O coordenador de subsede será nomeado em janeiro de cada ano pelo coordenador geral, com mandato para o ano em curso, podendo ser substituído a qualquer tempo.

 

Artigo 52. Compete ao coordenador de subsede:

I – controlar a realização das tarefas e a respectiva pontuação, informando o coordenador geral periodicamente,

II – moderar as reuniões do clube em sua subsede,

III – analisar as resenhas e os textos, encaminhando para publicação.  

 

SEÇÃO III

DA DIRETORIA DE SUBSEDE

 

Artigo 53. A Diretoria de subsede é composta por:

I – presidente,

II – secretário,

III – editor,

IV – diretor de divulgação.

 

Artigo 54.  Os membros da Diretoria da subsede serão alunos da ordem Kayngang, nomeados pelo coordenador da subsede, ouvido respectivo coordenador de turno, com mandato para o ano em curso, podendo ser substituídos a qualquer tempo.

 

Parágrafo único. Se na unidade não houver Ensino Médio, os membros da Diretoria da subsede serão alunos do 8º ou do 9º ano do Fundamental.

 

Artigo 55. Compete ao presidente:

I – assessorar o coordenador da subsede nas reuniões do clube,

II – selecionar textos para o jornal do clube.

 

Artigo 56. Compete ao secretário:

I – secretariar as reuniões do clube,

II – pré-revisar os diversos textos produzidos pelos sócios.

 

Artigo 57. Compete ao editor:

I – digitar os diversos textos produzidos pelos sócios,

II – editar o jornal do clube.

 

Artigo 58. Compete ao diretor de divulgação:

I – publicar os diversos textos produzidos pelos sócios no blog no clube,

II – criar mídias de divulgação do blog do clube.

 

 

 

 

Arquivos para download

AN 001 Estabelece as condições para a seleção dos primeiros sócios do CLEU DOWNLOAD
AN 002 Estabelece as pontuações referentes às insígnias e aos aditivos de cada ordem DOWNLOAD
AN 003 Estabelece o termo de aceite para novo sócio DOWNLOAD
AN 003a Termo de Aceite DOWNLOAD
AN 004 Estabelece a pontuação para a tarefa frequentar as reuniões do clube DOWNLOAD
AN 005 Estabelece a pontuação para a tarefa ler livros, resenhando-os, e publicar a resenha DOWNLOAD
AN 006 Estabelece a pontuação para a tarefa ler livros, apresentando-os oralmente DOWNLOAD
AN 007 Estabelece a pontuação para a tarefa produzir textos, publicando DOWNLOAD
AN 008 Estabelece a pontuação para a tarefa ler livros definidos pelo clube e realizar as respectivas atividades DOWNLOAD
Estatuto do Clube da Leitura e da Escrita do Unificado (CLEU) DOWNLOAD