Balneário Camboriú
VEJA OUTRAS UNIDADES
47 3367.1025 / 47 99929.1037
◄ VOLTAR

UNIQUALI

NORMAS



01.06.2011
PO 105/04 | Avaliação de Arte

 

A avaliação das disciplinas de Educação Física e Arte é, diferentemente das demais disciplinas, feita por conceitos. A avaliação de Educação Física está explicitada no PO 54; a de Arte, nesta norma.

 

A avaliação de Arte se baseará nos aspectos atitudinais, procedimentais e conceituais. A cada aula, o professor observará, em seus alunos, a organização na execução das atividades, a participação no desenvolvimento das tarefas, o empenho na consecução dos trabalhos, a coerência com o tema proposto e a construção propriamente dita do trabalho. 

 

O aluno é organizado — aspecto atitudinal — na execução das atividades se organiza seu espaço de trabalho, organiza seu material ao final da aula e finaliza seu trabalho no tempo adequado.

 

O aluno participa — aspecto atitudinal — no desenvolvimento das tarefas se colabora com o professor e os colega, respeita o professor, os colegas e as produções destes e participa da limpeza dos materiais de uso coletivo.

 

O aluno se empenha — aspecto procedimental — na consecução dos trabalhos se procura realizar a proposta, mesmo sentindo dificuldade, recebe bem a contribuição do professor e dos colegas para realizar a proposta e realiza as tarefas de casa propostas pelo professor.

 

Além disso, o professor deve perceber os aspectos conceituais se o aluno mantém a coerência com o tema proposto e se, na construção de seu trabalho, há os elementos da composição (harmonia, ritmo e equilíbrio).

 

Para operacionalizar a avaliação, no início de cada trimestre a Secretária emite uma lista base modelo 16 por turma e entrega ao Coordenador de Turno, que o entrega a cada professor. Recebendo, o professor põe, em cada coluna, as datas em que dará aula (geminada) para a turma e a armazena numa pasta.

 

A cada encontro, o professor sinaliza à turma os aspectos que observará com maior ênfase e, ao perceber em algum aluno um comportamento indesejado, informa o aluno e anota, na planilha, o código correspondente:

O: organização

P: participação

E: empenho

T: tema

C: construção

 

Quer dizer: se o professor pôs O significa que o aluno não foi organizado na execução das atividades; se o professor pôs T significa que o aluno não manteve coerência com o tema proposto.

 

Como a estratégia de avaliação é registrar comportamentos indesejados, é possível que algum aluno, ao final de um período, mesmo sem se destacar positivamente, não tenha nenhum registro. Assim, cabe ao professor, periodicamente, consultar sua planilha e verificar se há aluno sem observações; percebendo a falta destas, busca atentar para aquele aluno no próximo encontro.

 

Eventualmente, o comportamento indesejado de um aluno num encontro pode não se repetir nos seguintes; percebendo, então, que o comportamento indesejado foi ocasional, o professor pode excluir a observação, bastando cortá-la com uma barra inclinada: .

 

É possível registrar-se mais de uma observação por encontro (p. ex., OE, significando que o aluno não foi organizado nem se empenhou nas tarefas). 

 

Também é possível registrar-se observação de aspecto que não seja aquele que se tenha anunciado como de ênfase na aula.

 

Em meados de cada trimestre, o professor assinala os alunos com baixo desempenho e deixa a pasta com o CT. Após anotar o que lhe parecer significativo, o CT devolve a pasta ao professor e, nas suas conversas com alunos e responsáveis, faz as observações pertinentes.

 

Ao final do trimestre, o professor estabelece, para cada aluno, o conceito em Arte, de acordo com a seguinte tabela:

 

Encontros com registro Conceito
menos de 25% A
entre 25% e 50% B
mais de 50% C

 

Este conceito é lançado no ASP Escola e as listas-base são entregues ao CT. 

Arquivos para download

PO 105 Avaliação de arte DOWNLOAD